Setembro Amarelo

                “O suicídio não é querer morrer, é querer desaparecer”. (Georges Perros)

O curso de Psicologia da Faculdade Cambury se vestiu de amarelo para alertar a comunidade acadêmica sobre o suicídio. Essa prática, que normalmente é motivada pela depressão e que mesmo com tantos casos notórios, crescentes a cada ano, ainda existe uma expressiva barreira para falar sobre o problema.

Amanda Costa

Você sabia que a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio, no Brasil? E, que a cada três segundos uma pessoa tenta tirar a própria vida? Esses dados alarmantes mostram o quanto estamos cercados de pessoas que precisam de ajuda. Um abraço, uma palavra amiga ou intervenção profissional. Existem estágios e sinais, por isso leia essa matéria. Pois, na vida o mais importante é mudar de rota, mas não desistir no caminho.

O professor do curso de psicologia da Cambury, Mayk da Glória é especialista em saúde mental e explica para nós a importância de ter um mês para marcar as discussões sobre o suicídio. “Ter um momento específico para discutir o suicídio, os comportamentos de suicídio, enquanto sociedade. Uma vez que o suicídio atinge todas as classes sociais, todas as faixas etárias, todas as etnias e regiões do país”, explica.

Sobre os modos de prevenção, o professor afirma que toda ação de suicídio, com raras exceções ela é precedida de pedidos de ajuda e sinais de que alguma coisa não está bem. Ou seja, os dados comprovam que a cada tentativa de suicídio a pessoa já tenha tentado outras dez vezes. “O que nós orientamos para pessoas que não sabem o que fazer é que busque ajuda de um profissional de saúde”.  A ajuda profissional é extremamente importante uma vez que, algumas pessoas que queiram ajudar podem trazer concepções moralistas e religiosas e que reforçam muitas vezes o comportamento de tentativa de suicídio, complementa.

Sinais de alerta

É importante pensar que no campo da intervenção ao suicídio existem estágios. Sinais que vão dando o devido alerta sobre a gravidade do quadro. Primeiro ocorre o comportamento de ideação (quando a pessoa tem o desejo, mas não houve o planejamento e a tentativa). A segunda fase ocorre o planejamento (já tem a ideia para que isso ocorra, mas não tem uma data definida) e por fim existe a tentativa mesmo e que está na eminencia de suicídio, que seria mais grave e precisaria de uma intervenção imediata.

O psicólogo e nosso professor, Mayk da Glória aconselha: busque ajuda! “Não guarde para você. Fale sobre a sua ideação. Fale sobre a sua tentativa de suicídio. Nós estaremos à disposição para pensar nas melhores estratégias para lidar com o seu sofrimento”.

Importância do Setembro Amarelo 

A Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (IASP) estimula a divulgação da causa em todo o mundo no dia 10 de setembro, que é a data na qual é comemorada como o Dia Internacional de Prevenção ao Suicídio.

Muitas vezes a discussão sobre o tema é deixada para “depois”, como se existisse uma espécie de tabu sobre o assunto. É ignorada pela maioria das pessoas a dimensão do problema e a quantidade de pessoas que ele atinge. Infelizmente, tirar a própria vida tem se tornado um mal cada vez mais comum e os dados da OMS citados acima provam que a depressão, assim como os demais problemas que incitam o suicídio são sim um problema de saúde pública.

 PSICOLOGIA