Saúde mental e suas implicações

O ser humano é composto por dimensões no âmbito biológico, social, psicológico e espiritual. É importante enfatizar que a sua saúde mental depende, impreterivelmente, da funcionalidade e respeito de toda essa estrutura. Portanto é importante mobilizarmos a sociedade em favor da saúde mental e do bem-estar psicológico, incentivando as pessoas a procurarem ajuda de profissionais qualificados. Como ainda para que abram espaço para a sociedade evidenciar o diálogo sobre assuntos que ainda são considerados tabus ou irrelevantes com viés preconceituoso em relação a doenças físicas.

É extremamente necessário que a sociedade tome conhecimento e passe a ficar atenta aos pensamentos, sentimentos e emoções. Pois só assim, teremos o cuidado com a nossa subjetividade, iremos adquirir autoconhecimento e ter autonomia para falar sobre os nossos sentimentos sem ser taxado ou ridicularizado por isso. O atual modelo social corrobora predominantemente para que as pessoas vivam em situações segregadoras, estressoras e abusivas, ambas geram desgaste emocional e físico. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) não há saúde sem saúde mental.

A saúde mental não é somente ausência de doenças mentais, pois implica muito mais aspectos. Pessoas que são mentalmente saudáveis compreendem que ninguém é perfeito, que todos possuem limitações e diariamente vivenciam uma série de emoções como: alegria, amor, satisfação, tristeza, raiva e frustração. Apesar desses sentimentos elas são capazes de enfrentar os desafios e as mudanças da vida cotidiana com equilíbrio, sabendo procurar ajuda quando têm dificuldade em lidar com conflitos, perturbações, traumas ou transições importantes nos diferentes ciclos da vida.

A saúde mental de uma pessoa está relacionada à forma como ela reage às exigências da vida e ao modo como harmoniza seus desejos, capacidades, ambições, ideias e emoções. Ou cuidamos da nossa mente ou ela acabará com a gente, quando a nossa mente não vai bem, o nosso corpo é afetado e limitado. Segundo Augusto Cury e diversos profissionais da área, este é o mal do século, o desgaste mental, as ansiedades, os problemas depressivos e a síndrome do pensamento acelerado.

Existem mal-estares, dores e doenças que são causadas por uma sobrecarga da mente, o nome desse processo é somatização decorrente de “soma” que corresponde a ações somadas de vários sintomas ou doenças no corpo provenientes de questões psicológicas. É a transferência para o corpo do que deveria ser vivido e suportado apenas no campo mental e psicológico. Logo, cada vez que um indivíduo não consegue suportar alguma situação no campo psíquico ela acaba por produzir ou agravando sintomas e doenças que se manifestam no corpo. Freud e alguns teóricos utilizam a expressão “o corpo fala”, que significa que o corpo sinaliza a nós quando algo não está em normal funcionamento nas nossas emoções. Em razão disso, tenhamos o olhar atento para o autoconhecimento, para a identificação dos pensamentos disfuncionais, e de como você é afetado pelas situações cotidianas, para que assim consiga manter de modo mais razoável possível o equilíbrio e a redução de danos.

 

Sara Viana é estudante do curso de Psicologia da Faculdade Cambury. É membra da Comissão Especial de Psicologia Clínica do CRP09. Foi servidora pública na área de Atenção Psicossocial e Saúde Mental. Atualmente atua na área de Psicologia Organizacional com Gestão de Pessoas e Recrutamento e Seleção, possui experiência com palestras, seminários e qualificação em Psicologia do Desenvolvimento Humano, Psicologia da Personalidade e Psicologia Social.

PSICOLOGIA