O sofrimento do gestor contemporâneo frente às tecnologias

Os avanços tecnológicos têm facilitado o cotidiano das pessoas. Dá mais agilidade aos processos e encurta prazos. Porém, o trabalhador pode sentir-se impotente e ansioso por não ser aquele que tem a iniciativa e o controle das atividades.

Pare e pense: o seu gestor também sofre!? As novas mídias são incríveis, podem até estreitar os relacionamentos dentro da empresa e trazer alguns problemas. Afinal, a informatização dos processos, ao mesmo tempo em que facilita a função do gestor, também gera sobrecarga de trabalho, invadindo a vida privada do indivíduo e fazendo com que ele se veja na obrigação de estar o tempo todo à disposição da Instituição, pois mesmo fora do expediente está resolvendo questões relacionadas à sua função. Tempo entre trabalho e não trabalho? Praticamente não existe e aí é, justamente, onde mora o perigo.

Através dessa problemática que se desdobra para várias outras, a professora do curso de Psicologia da Faculdade Cambury, Carolina Martins foi destaque no último Congresso Brasileiro de Psicologia Organizacional e do Trabalho, ocorrido em Goiânia no mês de julho. Foram 400 trabalhos enviados para o evento, em que três foram considerados os melhores e indicados para a premiação.  “As vivências de sofrimento do gestor contemporâneo frente à inserção de tecnologias na organização do trabalho”  foi o destaque em simpósio dado pela professora.

Professora do curso de Psicologia da Faculdade Cambury, Carolina Martins.

É esse o tema do doutorado dela em Psicologia e que tem feito ela estudar com bastante afinco. Carolina Martins trabalhou em departamento de Recursos Humanos e lá percebeu o quanto as pessoas estavam adoecendo, justamente, pelos processos de informatização. Segundo a pesquisadora esse tema é muito recorrente na sociedade contemporânea, por isso é preciso discutir esse tema, pois impacta a saúde do trabalhador.

“É preciso conversar a respeito. Com a comunicação pela internet, cada vez mais tem diminuído a comunicação interpessoal e isso tem atrapalhado muito e tem causado sofrimento nas pessoas. Uma das dicas é que elas conversem mais a respeito dos sistemas que estão sendo aplicados. Estabelecem normas e regras. Muitas vezes as tecnologias são apenas impostas aos trabalhadores e os trabalhadores acabam perdidos, porque não tem nenhuma norma. Então, a gente precisa sentar e conversar mais e propor espaços de discussões coletivas com os colaboradores”, explica a professora.

Você que é nosso estudante de psicologia entenda que uma das questões primordiais do psicólogo dentro da organização é fazer com que eles colaborem uns com as outros.

 

PSICOLOGIA