Aplicativos “made in Goiás” em ascensão

Resolver diversas atividades do dia a dia na palma da mão é hábito consolidado dos goianos. E é através dos aplicativos aqui desenvolvidos que já é possível realizar compras em supermercados e drogarias, fazer cotações de preços, resolver problemas bancários, estudar, namorar, dentre outras coisas. A adaptação ao mundo tecnológico fez com que o mercado de aplicativos apresentasse crescimento de 300% nos últimos cinco anos no Estado de Goiás.

Nesse cenário, apareceram empresas em diversos segmentos de atuação. A EasyCrédito, por exemplo, surgiu no mercado em 2014, com o objetivo de facilitar a concessão de crédito entre pessoas e empresas. Gratuito, está disponível para Android e versão web. Através do app já foram aprovados mais de R$ 3 milhões de crédito. Atualmente, 50 mil usuários utilizam a plataforma em todo o Brasil.

A startup goiana já venceu vários prêmio no País, como FintechDay – Ciab Febraban; Encontre um Anjo – PE&GN; StartUP Brasil – Ministério da Ciência e Tecnologia do governo federal; InovaBra – programa de inovação do Banco Bradesco; InovAtiva Brasil – Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços; e FBstart – programa de aceleração do Facebook. De acordo com o diretor de tecnologia da empresa e um dos sócios, Egio Arruda, a expectativa de crescimento para o próximo ano é de 40%, o que resultará em um faturamento de R$ 17 milhões.

Outro app criado no mercado goiano é o QillQ, um aplicativo de fotos que incita a diversão e a interação por meio da fotografia. Ele une game e rede social, criando torneios instantâneos de fotos temáticas. Quem ganha o torneio recebe medalhas para aumentar o porcentual de especialista fotográfico e compartilhar com os amigos.

De acordo com o publicitário e desenvolvedor do app, Guilherme Margonari, o mesmo pode ser baixado de forma gratuita e já recebeu mais de cinco mil downloads. A expectativa agora é dobrar o número de usuários, mensalmente. “De forma geral, o mercado de aplicativos goianos está começando a ganhar força. Mas ainda estamos atrás de polos tecnológicos que há no Brasil. Há um caminho próspero pela frente”, diz Guilherme.

Explicações

De acordo com o presidente da Comunidade Tecnológica de Goiás (COMTEC), Hdir Gondim, o uso do smartphone ligado diretamente às atividades cotidianas explica o crescimento de apps no mercado. No Estado, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2014, 85,8% da população possuía celular. Em comparação com o ano de 2005, o aumento de usuários é de 95%.

Consequentemente, cresceu o uso dos aplicativos móveis. Uma pesquisa mundial da Flurry mostra que o uso dos apps mobile cresceu 58% em 2015 em relação ao ano anterior. O número de usuários que passaram a consumir mais aplicativos é alto se comparado com os últimos anos, cresceu 20% em 2014 e 10% em 2013. “Nos últimos cinco anos o mercado goiano apresentou crescimento de 300% ou mais”, afirma Hdir.

Para o presidente da Câmara de Ciência, Tecnologia e Inovação da Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg), Rubens Rileti, o aumento pode ser acima da projeção de 300%. “O mercado era muito pequeno anos atrás e ainda tem muita coisa para crescer. Se comparado com o Estado de Santa Cataria, que respira inovação há anos, ainda estamos aquém. Pode se criar aplicativo para qualquer coisa, mas é preciso aproveitar as informações que estão disponíveis nas redes para saber onde está o público alvo e assim elaborar ações de vendas mais direcionadas”, explica.

 

Fonte: Jornal O Popular