3 passos para ter um time inovador

Lembre-se: flexibilidade, diversidade e programa de incentivo às ideias são imprescindíveis para a solução de problemas, em qualquer empresa. Portanto, se é gestor de Recursos Humanos ou pretende ser, você não pode deixar de ler essa matéria.

Diversos negócios estão sendo ameaçados por rivais da nova economia que se mostram mais rápidas, eficientes e capazes de se adaptar ao atual momento do mercado. Quem se lembra, por exemplo, da gigante Blockbuster frente ao poder atual da Netflix? Para não ter o mesmo destino, as companhias tradicionais precisam se mexer.

Inovar em uma grande organização não é uma tarefa fácil. Por isso, os líderes de recursos humanos precisam trabalhar para formar equipes criativas, nas quais as ideias rolem soltas. Alguns clichês, como almofadas coloridas, vi­deogames e mesas de pebolim não bastam para essa transformação. Mais importante é manter uma atmosfera que estimule a criatividade.

Sigas as dicas e assegure a sobrevivência dos negócios.

  1. Incentive a colaboração

Segundo uma recente pesquisa da consultoria americana Clear Company, 39% dos empregados de grandes companhias afirmaram  que seus companheiros não colaboravam tanto como deveriam. É justamente isso que gera a maioria das falhas de uma empresa.

A flexibilidade tem sido algo fundamental para muitas empresas. Medidas como extinção do antigo código formal de vestimenta, além de trabalho a distância, estão sendo adotadas.

  1. Invista na diversidade

A lógica é simples: pessoas iguais pensam de maneira igual. Quanto mais gente diferente em um ambiente, maior a probabilidade de soluções distintas para um problema. Um estudo do banco Credit Suisse aponta que, de 2011 a 2016, as empresas que investiram em diversidade tiveram um aumento no lucro 6,5% maior do que aquelas que não apostaram no tema.

  1. Recompense as ideias

A IBM sabe que precisa de mais do que uma estratégia de diversidade para ter inovação. A companhia, que em sua história centenária saiu da fabricação de computadores para a de sistemas de inteligência artificial, tenta estimular ideias permanentemente.

Para isso, criou uma moeda própria: o blue point. Se um funcionário inicia um projeto inovador ou tem atitudes que encorajem a inovação de seus pares, ele é premiado com o dinheiro. Com a bonificação, compra desde viagens até eletrodomésticos. Todos os gerentes e diretores têm direito a premiar qualquer pessoa na empresa, do próprio time ou não.

FONTE: Revista Exame

[button size=’small’ style=’white’ text=’GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS’ icon=” icon_color=” link=’https://cambury.br/curso/goiania/gestão-de-recursos-humanos’ target=’_self’ color=’#2D8109′ hover_color=’#25a6a8′ border_color=” hover_border_color=” background_color=’#b9d40c’ hover_background_color=’#2F429F’ font_style=’normal’ font_weight=” text_align=’center’ margin=”]